O Mito:

A COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA É MAIS ECOLÓGICA DO QUE COMUNICAÇÃO IMPRESSA E O PAPEL

O Fato:

A MÍDIA ELETRÔNICA TAMBÉM POSSUI IMPACTOS AMBIENTAIS

Two Sides E-waste

A Comunicação Eletrônica é Mais Ecológica do que a Comunicação Impressa e o Papel

“NÃO USE PAPEL”, “SEJA VERDE” E “SALVE AS ÁRVORES” SÃO TEMAS COMUNS NOS DIAS DE HOJE, JÁ QUE MUITAS EMPRESAS E GOVERNOS INCENTIVAM SEUS CLIENTES E COLABORADORES A MUDAR PARA TRANSAÇÕES OU COMUNICAÇÕES ELETRÔNICAS.

 

Mas estes apelos são realmente para ajudar o meio ambiente, independentemente dos fatos?


Campanhas que buscam eliminar o papel são geralmente focadas em uma única característica e não levam em conta todos os estágios no ciclo de vida do papel e também nos métodos online.


As organizações que realmente querem tomar decisões ambientais responsáveis devem se basear em informações reais e verificáveis. As preferências dos clientes ou pelo papel ou pelo acesso online são também importantes.


Ao invés de se perguntar o que é melhor, comunicação eletrônica ou em papel, devemos utilizar esse pensamento sobre o ciclo de vida para descobrir qual combinação das duas possui o menor impacto no ambiente, enquanto melhor atende as necessidades sociais e econômicas.

 

“Se comparada à demanda de eletricidade dos países, num mesmo ano, “a nuvem” seria a 6ª no mundo, com expectativa de crescimento de 63% até 2020.”

Greenpace, 2014


Ao secar as mãos em um secador elétrico a ar quente, o consumo de energia no ciclo de vida será maior do que se optar por secar as mãos usando uma ou no máximo duas folhas da toalha de papel. Se for usado um número maior de folhas dessas toalhas, essa vantagem ambiental migra para o secador a ar quente. Por essa razão, o empresário, que pode disponibilizar ou um ou outro desses meios de secagem das mãos, deveria se preocupar em buscar toalhas de papel de melhor qualidade se ele realmente quiser exercer seu papel ambiental de forma relevante. 

 

Ao considerar que o papel é feito de madeira, um recurso natural e renovável, podemos concluir que, em um mundo multimídia, o papel e a impressão podem ser meios sustentáveis para se comunicar.

  • O resíduo eletrônico é agora o componente com crescimento mais rápido do fluxo de resíduos
  • A quantidade de produtos eletrônicos descartados globalmente cresceu rápido, recentemente, com 20 a 50 milhões de toneladas geradas todos os anos

Greenpeace, O problema do resíduoeletrônico, 2013

 

Em 2015 o Brasil gerou 1,4 milhão de toneladas de resíduos. A maior parte desses resíduos abrange pequenos eletrodomésticos, monitores de televisão e telefones celulares 
Associação de Empresas da Indústria Móvel (GSMA) e Universidade das Nações Unidas

 

O problema da propaganda ambiental enganosa (greenwash)

Em uma pesquisa conduzida no Reino Unido pela Two Sides, em novembro de 2010, 43% dos bancos, 70% das empresas de serviços e 30% das empresas de telecomunicações estavam fazendo afirmações “verdes” sem fundamento como “fatura eletrônica é melhor para o meio ambiente”.


Ao serem desafiadas pela Two Sides, 82% destas mensagens de greenwash foram removidas ou alteradas.
Ações de greenwash precisam ser questionadas toda vez que forem encontradas.